Área Médica
Atendimento online via chat exclusivo para médicos
Fale Conosco
Rua Santa Clara, 240
Sorocaba/SP
TEL: (15) 3233-7925 / 3231-1614
contato@arteformulas.com.br

Notícias

Asma

O que é asma?

A asma é uma doença que se caracteriza por inflamação crônica das vias aéreas inferiores (brônquios e suas ramificações). Esta situação a inflamação doa brônquios , provoca hiperatividade brônquica, ou seja, uma resposta de defesa, exagerada dos brônquios frente a um agente agressor, causando uma diminuição do calibre das vias aéreas (broncoespamos). Exemplificando, quando respiramos ar frio, ocorre, uma resposta normal, uma pequena redução do calibre dos brônquios, que possibilita um maior tempo de aquecimento do ar ate chegar aos álveos. Nos asmáticos, em crise, esta resposta ao frio é muito mais intensa, levando a uma redução exagerada dos brônquios. A asma aparece em indivíduos com predisposição genética, em crises que podem durar horas ou dias, intercaladas com períodos em que o paciente permanece sem sintomas. À medida que a gravidade da asma aumenta, as crises vão ficando cada vez mais constantes, com sintomas praticamente contínuos. Geralmente a asma aparece na infância ou adolescência e melhora (parcial ou totalmente) ate o inicio da vida adulta em mais ou menos  metade dos casos. 


É uma doença frequente?

Estima-se que mais de 10% da população mundial apresente, durante a vida sintomas de asma. A doença pode acometer o individuo em qualquer fase da vida, apesar de ser mais comum na infância e adolescência. Representa também uma grande causa de internação hospitalar, estimada, no Brasil, em 350 mil internações no ano, sendo a 4 em adultos e 3 em crianças e adolescentes. 


Quais são os sintomas?

Com a redução do calibre das vias aéreas, a entrada e a saída do ar dos pulmões tornam-se mais dificeis, sendo necessário um esforço maior. Assim a sensação de falta de ar (dispneia) é frequente, juntamente com a presença do chiado no peito (sibilos), que é um ruído decorrente da passagem do ar por vias aéreas mais estreitas. O quadro clássico da asma é representado por episódios repetidos de falta de ar acompanhados de chiado (broncoespamos). São frequentes também a presença de tosse seca,  aperto no peito e sintomas de outras  doenças associadas, como a renite. Outra característica importante da asma é que os sintomas melhoram rapidamente com o uso de broncodilatadores, ou seja,  medicações  que relaxam a musculatura dos brônquios, fazendo que o seu diâmetro volte ao tamanho normal. 


Como é feito o diagnostico?

O diagnostico de asma é feito fundamentalmente pelo história clinica e exame físico, ou seja a presença de crises de broncoespamos (chiados) intercalados  com períodos assintomáticos. Deve ser excluída a presença de outras  doenças que levam a sintomas semelhantes , como doença pulmonar obstrutiva crônica e insuficiência cardíaca. Além do quadro clinico, a avaliação da função pulmonar (espirometria) faz parte dos critérios de diagnostico. A espirometria habitualmente mostra uma obstrução das vias aéreas que melhora com o uso de broncodilatadores. 


A asma e a bronquite são a mesma coisa?

Há bastante confusão com esses termos. Embora usadas como sinônimos são doenças distintas. Bronquite e bronquite crônica é uma doença que se caracteriza por falta de ar , tosse crônica por expectoração importante, podendo ser acompanhada por chiado e fortemente associada ao tabagismo. Asma é o termo correto para se referir  a doença já descrita.    

A asma é um tipo de alergia?

Podemos dizer que determinada pessoa tem alergia ou atopia se ela desenvolve um tipo de reação imunológica contra alguma substancia com a qual  ela entrou em contato (alérgeno),provoca uma inflamação. Dependendo do órgão acometido, as rações alérgicas apresentam de forma diferente., por exemplo, renite, urticaria, diarreia ou conjuntivite. Em muitos pacientes asmáticos, a alergia ou atopia pode ser uma das causas do desencadeamento e manutenção das crises.  Porem, a inflamação presente nos brônquios deixa essas pessoas propensas a apresentarem sintomas de asma quando expostas a outras substancias irritantes não alérgicas. Portanto muitas vezes a asma tem um componente alérgico, mas, raramente é o único. 


O que pode desencadear as crises?

São muitas as coisas que desencadeiam as crises  de asma e variam entre as pessoas. Infecções virais, alérgenos (animais domésticos, ácaro e polem), irritantes ( poeiras, poluição, fumaça de cigarro, gases, cheiro de gasolina), medicações , alimentos, estresse , ate exercícios físicos podem desencadear uma crise. O ambiente de trabalho  em algumas situações podem ter papel importante no surgimento e desenvolvimento da asma. O importante é cada paciente identificar as causas da sua crise e tentar evitar situações de exposição. 


Qual o tratamento para asma?

As duas principais medicações  no tratamento  são os broncodilatadores, que e relaxam a musculatura dos brônquios facilitando a passagem do ar, e os corticoides. Como disseram anteriormente , a asma é uma inflamação nos brônquios e para contro-la devemos usar um poderoso anti-inflamatório: o mais efetivo desse grupo são corticoides. De preferencia os medicações  para o tratamento de asma devem ser utilizadas na forma inalatório, desta forma concentra-se nas vias aéreas., atingindo outras concentrações em outros órgãos, com muito menos efeitos colaterais. Poremos dividir o tratamento da asma em duas fases:  aguda ( tratamento da crise) e de manutenção ( prevenção de novas crises).

Durante a fase aguda ou crise, o tratamento é mais intenso  e com doses maiores das medicações . além dos broncodilatadores para os alivio dos sintomas, de preferencia de forma inalatória (nebulização e bombinha ) e de corticoide por via oral ou endovenosa, eventualmente são necessárias outras medidas, dependendo da causa  da descompensarão ( infecções , pacientes em contato com agentes e causas nocivas, etc.).

No tratamento de manutenção (de prevenção entre crises), o principal medicamento é o corticoide de forma inalatória (bombinha). Na aforma inalada, seus efeitos colaterais são mínimos -  o mais  comum é a monilíase oral ou sapinho, que é facilmente prevenido com a lavando-se  a boca apos o uso do remédio.  

Também são usados broncodilatarores de longa duração ( ate 12 horas de ação), podendo ser utilizados em conjunto com corticoides inalatórios. Crise leves podem ser controladas com broncodilatadores de curta duração .


A “bombinha faz mal?

A utilização de medicação inalatória tem varias vantagens  no tratamento de doenças respiratórias : ação mais rápida menos efeitos colaterais, menor dose de medicamentos e maior facilidade de uso. Podem ser usados inaladores elétricos (inalação) ou aparelhos portáteis que permite a inlação de um dose especifica. Esses últimos podem ter medicação em pó (capsula) ou aerossol ( bombinha). Diversas drogas podem ser utilizadas desta forma : broncodilatadores, corticoides e anti-histamínicos. Os broncodilatadores foram os primeiros e são os mais comuns. Os efeitos mais comuns de alguns broncodilatadores são os tremores e taquicardíaca (aceleração dos batimentos cardíacos). Embora desagardaveis, raramenete estão associados a complicações mais serias como arritmias, que podem acontecer em pacientes cardíacos. Além disso, o suo de broncodilatadores na forma inalatória (bombinha e nebulização) provoca muito menos efeito colateral do que na forma oral (xarope oi comprimidos), subcutânea ou  endovenosa. O que contribui para um receio na utilização das “bombinhsa”é que as primeiras drogas broncodilatadoras utilizadas nessa apresentação causam com maior frequência arritmias, criando  um preconceito ate os nossos dias.  Existem alguns estudos em medicina demostrando que as pessoas que tiveram problemas mais sérios com as “bombinhas”, eram pessoas com doenças mais graves que, ou abandonaram outros tratamentos ou utilizaram excessivamente a medicação. O recomendado é que não se utiliza a medicação inalatória em intervalos menores que 4 horas; caso isso seja necessário, deve-se procurar imediatamente  atendimento  medico, pois é sinal que apenas essa medicação não é suficiente. O que os estudos revelam nos casos de uso excessivo de broncodilatadores inalatórios é que a crise se intensificou-se porque a medicação correta não foi utilizada e não pelo uso excessivo da bombinha. 


Tratamento com “ vacinas” funciona?

O tratamento com varias consiste  na administração de doses crescentes de alérgeno (substancia que provoca alergia), para a pessoa com sensibilidade especifica, durante um período prolongado. A indicação deste tratamento é feita com cautela, e não deve ser utilizados em pacientes com sintomas agudos ou crônicos importantes, pois há risco de piora. Deviso ao custo, tempo de duração e riscos envolvidos , o tratamento é indicado apenas naqueles casos onde a substancia causadora da reação alérgica possa ser identificada corretamente, não haja a possibilidade de afastamento do contato e que seja responsável por sintomas importantes. Além disso, a administração do alérgeno,  deve ser feita na forma de injeções subcutâneas, pois o uso de vacinas orais e sublinguais não tem efeito comprovado. 


Mudanças no ambiente da casa ajudam no controle da asma?

A exposição domiciliar a alérgenos (ácaros, pelos, salivas de animais, etc.)esta relacionada na gravidade da asma, pelo estimulo constante a inflamação dos brônquios. Desse modo é importante o controle desses fatores dentro de casa e no ambiente de trabalho, embora não exista comprovação com estudos científicos bem conduzidos. As medidas de controle ambiental devem ser flexíveis, e levar em conta a gravidade da asma, capacidade individual e condição econômica. É recomendável a lavagem semanal de roupas de cama, cobertores e acolchoados, preferencia por materiais sintéticos nos cobertores, cortinas e carpetes, controle da umidade de ambiente, preferencia por pisos de madeira ou sintéticos, evitar animais dentro de casa, etc. o uso de filtros de ar e ionizantes demostraram pouco ou nenhum efeito na redução de ácaros no ambiente.  


Um asmático pode ter um avida normal?

Sim, completamente normal! Com os recursos disponíveis hoje, a maioria dos asmáticos pode desenvolver qualquer atividade e passara longos períodos sem sintomas da doença. Em alguns é necessário manter a medicação preventiva; em outros algumas medidas não –medicamentosas podem ser suficientes. 

Atividade física é fundamental e conhecemos uma serie de atletas asmáticos que convivem pacificamente com a doença.

Outro ponto importante para as mulheres é a gestação. Sabe-se que ao redor de 1/3 das asmáticas melhoram na gravidez, 1/3 ficam inalteradas e 1/3 pioram. Mesmo para aquelas de pioram, não é contraindicada a gestação, pois as medicações são eficientes e seguras para serem utilizadas nesse período. 

 

Fonte: 

SAUDE - ENTENDENDO AS DOENÇAS, KAUFFMAN, PAUL, HELITO, ALFREDO SALIM DE, Ano:  2007. Editora: NOBEL