Área Médica
Atendimento online via chat exclusivo para médicos
Fale Conosco
Rua Santa Clara, 240
Sorocaba/SP
TEL: (15) 3233-7925 / 3231-1614
contato@arteformulas.com.br

Notícias

Lúpus eritematoso cutâneo e sistêmico

Lúpus eritematoso cutâneo

O que é ?

Lúpus eritematoso é uma doença que causa lesões de pele, principalmente nas áreas expostas ao sol, tais como face, pescoço, couro cabeludo, orelhas, altos do tronco, antebraços e dorso das mãos. Afeta principalmente mulheres, em geral de 20 a 40 anos. O lúpus eritematosos pode se manifestar sozinho na pele ou associado a inflamação em outros órgãos levando ao aparecimento de diferentes sintomas,

 O que causa esta doença?

Os lúpus eritematosos são considerados uma doença de defesa do próprio organismo (autoimune), isto é, o organismo, para se defender de fatores ambientais como sol (radiação UV), por exemplo, acaba produzindo anticorpos contra componentes do próprio corpo. Existe uma predisposição genética, que facilita o desenvolvimento da doença, sendo que é comum encontrar   pessoas da mesma família com lúpus eritematosos. Algumas medicações podem desencadeá-las, entre elas as de pressão e diuréticos. Outros fatores entre eles, vírus, tem sido estudado s no desencadeamento da doença, porem ainda não foram comprovadas.

 

Como são as lesões da pele?

As lesões da pele do lúpus eritematoso podem ser diferenciadas de acordo com a fase: crônica, subaguda e aguda.

As lesões de lúpus cutâneo crônico, também chamado de discoide, ocorrem principalmente na face, mas também aparece em outras áreas expostas ao sol e ate no couro cabeludo. Elas começam como manchas vermelhas, com descamação em geral sem sintomas locais, que crescem lentamente, ficando com o seu centro com aspecto de cicatrize apresentado mudança de cor para marrom ou branca. Há aparecimento de novas lesões ou piora das já existentes com a exposição sol. Quando acometem o couro cabeludo, podem resultar em áreas com cicatrizes e consequente perda permanente dos cabelos. Quando presentes essas lesões, raramente há comprometimento em outros órgãos.

As lesões do tipo subagudo são muitos sensíveis ao sol, sendo que aparecem principalmente na face, regiões superiores do tronco, e membros superiores. São manchas vermelhas, que descamam, podendo ter aspecto anular ou em placas. Costumam evoluir deixando manchas brancas. Pode haver comprometimento de outros órgãos, principalmente de articulações.

O lúpus eritematoso cutâneo aparece em pacientes em que a forma sistêmica (atingindo todo organismo) da doença (lúpus eritematoso sistêmico). Esses a pacientes apresentam, além das lesões de pele, comprometimento de órgãos internos, tais como rins, coração, ou sistema nervoso central. As lesões de pele são principalmente localizadas na face, são vermelhas, mais discretas do que as formas crônicas e subaguda, quando melhoram, não deixam cicatrizes. Mais raramente podem aparecer lesões bolhosas. Durante a atividade inflamatória da doença, pode haver queda de cabelo difusa e intensa, entretanto sem cicatrização definitiva do couro cabeludo, havendo novo crescimento de cabelo com o tratamento e controle do lúpus.

Como se faz o diagnostico de lúpus eritematosos cutâneo?

As lesões de pele na maioria das vezes, são muito típicas, sendo que o dermatologista bem treinado é capaz de fazer a suspeita diagnostica. A confirmação é feita com a biópsia da pele lesada. Após o diagnostico de lúpus cutâneo, é necessário verificar se há também, comprometimento de outros órgãos. Assim, é deve-se pesquisar outros possíveis sintomas do paciente através de uma a historia clinica detalhada e examinando-o bem. Exames laboratórios também são importantes para o diagnosticou de comprometimento sistêmico, devendo-se pesquisar a presença de alterações bioquímicas e de auto anticorpos (FAN e outros) no sangue além de alterações na urina.

Recomendações para uma boa evolução da doença:

·         Lúpus eritematoso é uma doença tratável. Procure seu medico e mantenha-se em acompanhamento.

·         Não pare as medicações para lúpus, sem consultar seu medico.

·         Proteja-se da luz solar, com roupas, chapéus, sobrinhas e foto protetores

·         Pode se usar corretivos cosméticos em lesões cicatriciais

·         Procure seu medico para orientações sobre gravidez

·         Evite fumar para obter uma melhor reposta ao tratamento

 

Lúpus eritematoso sistêmico

O que é?

Uma doença autoimune, que como já visto anteriormente, decorre da produção de anticorpos contra o próprio organismo, chamados auto anticorpos. Essa autoagressão provoca lesões nos diferentes tecidos do corpo humano, cuja gravidade depende do órgão acometido. Esse defeito genético, se deve ao um conjunto de genes, e como a herança provem de cada metade dos pais, ela não passa na sua integridade e, portanto, é difícil a doença aparecer nas mesmas condições nos descendentes. Mesmo assim, estes podem ter alguns sinais clínicos de lúpus ou apresentar uma outra doença do grupo das autoimunes. Ocorre principalmente em mulheres (10 para 1 em relação aos homens), sendo mais frequente na puberdade, quando existe mudança nos níveis hormonais, principalmente no aumento de estrógenos.

Quais são aos fatores envolvidos no seu aparecimento?

Além da sustentabilidade genética, a doença pode surgir após a exposição solar (só nos pacientes sensíveis ao sol), uso de medicamentos (pílula anticoncepcional), antibiótico (principalmente sulfas), drogas para baixar pressão arterial e reduzir níveis de colesterol, controladores do ritmo cardíaco, além de uma infinidade de outros produtos para as mais variadas finalidades. A manifestação de lúpus ocorre somente nas pessoas predispostas e sensíveis a um determinado medicamento e, uma vez comprovada essa sensibilidade, o paciente jamais poderá usa-lo novamente.

 

Todos os pacientes com lúpus são iguais?

Não pois eles são geneticamente diferentes a não ser os gêmeos univitelinos. Há formas de lúpus que acometem somente a pele e que nunca acometem órgãos internos. Outros pacientes nunca tiveram manifestações na pele, e sim, apenas num órgão interno, como rim ou cérebro. Evidentemente, estes geram mais preocupações e exigem maiores cuidados. a presença de dores nas juntas, febre e queda de cabelo é observada na maioria dos pacientes.

 

Quando existe a suspeita de lúpus?

Ocorre a suspeita de lúpus, quando pacientes do sexo feminino apresentam febre baixa, dores vagas nas juntas, e referem o aparecimento de manchas na pele, após terem se exposto ao sol na praia. Outros dados clínicos favorecem o diagnostico, tais como: queda de cabelo, urina avermelhada e com muita espuma, convulsão, palidez de pele e alterações visuais. Se forem observados todos esses sinais, é alta a probabilidade de a paciente ser portadora de lúpus.

 

Como é feito o diagnostico?

O diagnostico deve ser feito a partir dos dados clínicos, e os exames de sangue são uteis para confirmar o diagnostico. Alguns auto anticorpos aparecem somente nos lúpus, como anticorpos anti-DNA (antiácido desoxirribonucleico, que pertence á estrutura fundamental do cromossomo) e anti-Sm (iniciais do nome do paciente chamado Smith em quem o anticorpo foi identificado pela primeira vez).

Outros exames são imponentes para avaliar a atividade da doença, extensão para órgãos internos, e também para acompanhar o resultado do tratamento. Muitas vezes, o quadro clinico e os exames laboratoriais são insuficientes definir o diagnóstico, sendo necessária a realização de biopsias ( retirada de fragmentos de tecido para exames no microscópio) de um local acometido pela doença.

 

Quem tem lúpus pode engravidar? Quais são os cuidados especiais?

O fato mais importante não é ter a doença, mais em que condições ela se apresenta. se a doença está ativa, com acometimento dos órgãos, é evidente que se aconselha a não engravidar, pois a gestação ira piorar o lúpus e as complicações serão maiores e mais delicadas. Se entretanto, houve um tratamento eficiente e a doença entrou em remissão, os exames de atividade normalizaram-se e já se passaram amis de 6 meses, a paciente pode ser liberada para engravidar. Nessa situação, é importante pesquisar a presença de u anticorpo na mulher chamado anti-Ro, também chamado SS-A. este tem a capacidade de afetar o coração do feto, provocando complicações muitas vezes serias e irreversíveis. Sua presença identificada e o acompanhamento cuidadoso da criança durante toda a gestação evitarão as graves complicações decorrentes de sua presença. Esses casos devem ser acompanhados pelo obstetra e pela reumatologia durante todo o período gestacional para evitar complicações. Quem tem lúpus somente de pele, em geral, tem uma gravidez normal, mais mesmo assim necessita de acompanhamento durante todo o período gestacional.

 

Como é o tratamento?

Assim como existem varias formas de apresentação da doença, o tratamento varia muito conforme o caso. Pode ser só local, na pele, ou geral, com medicamentos que variam de anti-inflamatórios comuns, passando por cortisona e drogas imunossupressores que inibem a resposta imunológica por via oral ou endovenosa, ate transplante de órgãos e medula. Tudo depende do acometimento agressivo e da não resposta aos métodos convencionais. É importante salientar que os métodos de tratamento atuais e os avanços alcançados nas pesquisas tem permitido uma melhora significativa na qualidade de vida desses pacientes.

 

Fonte: 

•               SAUDE - ENTENDENDO AS DOENÇAS, KAUFFMAN, PAUL, HELITO, ALFREDO SALIM DE, Ano:  2007. Editora: NOBEL